Tyg Log – Survival Games

Survival

Arrisco dizer que um dos gêneros de jogos que cativam facilmente as pessoas atualmente, além dos famigerados MOBAS, são os jogos de sobrevivência ou survival. Talvez essa “febre” tenha começado com Minecraft, ou até bem antes disso, mas o fato é que eu compartilho desse grande gosto por começar completamente perdido e desamparado em um ambiente selvagem para terminar com um castelo voador que dispara raios.

Partirei então para algumas conjecturas. Construir coisas e fazê-las funcionar é uma tarefa bastante satisfatória e como a maior parte dos jogos do gênero incluem muitos desses elementos, já temos um fator que chama atenção. Minecraft fala por si só. Inúmeros jogadores mostram sua engenhosidade ao construir mecanismos complexos ou vastas obras de arte, mundos inteiros na realidade. De vez em quando escuto boatos sobre indivíduos abençoados pelas bênçãos do tempo que construiram pequenos computadores ou réplicas fiéis de outros mundos de fantasia.

Outro elemento em comum são os equipamentos e armamentos que o jogador pode adquirir para tornar seu personagem mais eficaz. Valiosas picaretas de diamante ou até mesmo Mechas, como em Starbound. Gerenciamento de equipamentos é um elemento velho demais, vai muito além do meu humilde conhecimento sobre jogos, entretanto também é algo que agrada a maioria pelo seu fator de personalização. Escolher como o personagem deve atacar, defender ou executar uma tarefa ajuda a criar interesse de um(a) jogador(a) pois ele(a) terá mais interesse investido. Em Starbound, por exemplo, existe uma vasta variedade de armas, armaduras e vestimentas que nada conferem a não ser uma aparência diferente.

Starbound

O terceiro elemento é justamente um dos mais importantes: o elemento de sobrevivência, e esse talvez seja complicado. Em uma busca rápida ao dicionário, o significado da palavra é: “Ato ou efeito de sobreviver”. Não muito útil. Vejamos Sobreviver: “Permanecer vivo apesar de algo; continuar vivendo depois de uma situação desastrosa; insistir; não sucumbir a ação de; continuar existindo”. Melhor. Dentre as coisas que primeiro vem a cabeça quando pensamos no termo, provavelmente estejam as imagens de nosso grande amigo Wilson ou de alguém próximo a uma cabana improvisada tentando fazer fogo. Incluirei também a de alguém com uma lança ou arco e flecha rústicos buscando comida em uma floresta. Parece bem óbvio, mas o porquê disso é simplesmente que essas pessoas estão tentando Sobreviver, manter-se vivas, não sucumbir a ação da fome, sede ou frio, e é justamente essa experiência que os jogos de survival tentam trazer. Devem haver N elementos que estejam trabalhando constantemente para deteriorar ou fazer sucumbir o personagem e ele deve tentar sobreviver a esses elementos.

Da forma que esses jogos são feitos é comum uma única pessoa sair da idade da pedra e construir uma estação espacial. Não muito verídico é claro, mas a ideia é clara, a pessoa ferramentas e métodos para construir novos artefatos que a levam a novas ferramentas e métodos. Alguns dos jogos adicionam ainda mais açúcar a sua fórmula ao incluir o elemento multiplayer para que Youtubers possam ficar berrando em seus vídeos e para trabalhar outro fator bastante relevante a sobrevivência: o social. Rust é um título que abarca todos os elementos previamente discutidos em um ambiente com vários jogadores, e como tudo que inclui pessoas, as formas de interação variam bastante entre cooperação para construir abrigos melhores, roubo de mantimentos e verdadeiras guerras de gangue.

Rust Game

Apesar de tudo isso, muitos dos jogos do gênero tem seu fator de sobrevivência bem fraco ou completamente inexistente. Em Starbound o único fator deteriorante é a alimentação do personagem, representada por uma barra que diminui gradativamente ao longo do tempo. Para restaurá-la é necessário encontrar comida, que pode ser obtida ao caçar animais ou ao plantar vegetais diversos e cozinhá-los. Dessa forma, costumo me referir a Starbound como um jogo de exploração, muito bem feita por sinal, ao invés de survival. Se não estiver enganado, Minecraft também possui um fator sobrevivência bastante fraco. Rust é um pouco mais exigente, porém a maior sobrevivência dele vem mais das interações entre jogadores do que das mecânicas em si.

Entretanto, não basta haver um bom fator sobrevivência para ser um bom jogo. Um dos elementos discutivelmente fundamentais é o Objetivo, e isso parece que tem sido deixado de lado em uma quantidade assustadoramente grande de jogos. Até hoje eu me pergunto “Qual é o objetivo de Minecraft?”. As respostas “Construir coisas grandiosas”,”Divertir-se com os amigos” e/ou “Fazer dinheiro no YouTube” são inválidas. Deve haver um objetivo no jogo, algo mais concreto que os desejos coloridos das pessoas que os jogam. A falta de um objetivo fará alguém se perguntar “Porque estou fazendo isso mesmo?”. É um assunto ainda em discussão com alguns amigos, mas quando me foi apresentado Project Zomboid, achei inicialmente o joguinho não muito inspirador. Após alguns anos de desenvolvimento voltei a questionar sobre ele e notei que houve uma boa evolução, acabei adquirindo-o.

Project Zomboid

Suas mecânicas tinham um ótimo grau de complexidade e havia muita coisa a se atentar, como o estresse do personagem, ferimentos, fome e muito mais, uma excelente experiência de zumbis com os amigos (apesar do terrível método de conexão). Mas não tinha um objetivo, nada como “encontrar a cura”, “fugir da cidade” ou algo semelhante, e só aquilo serviu para me desinteressar rapidamente. Me perguntava “O que faremos depois de construir uma fortaleza anti-zumbis com tudo o possível para sobreviver aqui dentro?”.

Claro que temos também exemplos excelentes de jogos de sobrevivência que incluem seus elementos importantes e um objetivo. This War of Mine coloca o jogador em uma guerra, como muitos outros por ai, porém no lado dos civis, não dos soldados. Em uma cidade em ruínas, é necessário coordenar um pequeno grupo de pessoas para conseguir comida, remédios, segurança e proteção contra o frio, tudo isso enquanto deve tomar decisões difíceis como roubar de um indefeso casal de idosos ou correr o risco de passar fome. É o clássico exemplo de um jogo simples que foi muito bem feito, e bem difícil por sinal.

This War Of Mine

O último exemplo que tenho é bem inusitado, mas que incorpora os elementos de sobrevivência de uma forma diferente: Game Dev Tycoon. Nele, o jogador assume o controle de uma companhia de desenvolvimento de jogos, bem do início, e deve produzir títulos, fazer investimentos e gerenciar a companhia com sabedoria para que cresça e não vá a falência. Caso sobreviva até o final de um tempo, uma pontuação é calculada. Nada de cabanas, caçadas, fome ou frio, mas Game Dev inclui um elemento que o tempo todo gera preocupação: a situação financeira da companhia.

Game Dev Tycoon

Caio “Tyghorn” Victor

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s